Walgreens investe em lojas de pequeno formato

A Walgreens Boots Alliance está abrindo mais de 30 pequenas farmácias, em grandes áreas urbanas. De acordo com a companhia, as lojas terão um foco em saúde e bem-estar. A empresa também está examinando suas futuras necessidades imobiliárias, reduzindo custos e empregos corporativos, a fim de ser mais eficiente e competitiva.

Walgreens planeja realizar cortes de custos em mais de US$ 1,8 bilhão anualmente até o ano fiscal de 2022, a partir da meta atual de US$ 1,5 bilhão. A reconfiguração das lojas terá um grande papel nisso.

“Temos cerca de 30 ou 40 lojas ativamente no terreno”, disse Alex Gourlay, co-diretor de operações da Walgreens, destacando que estão satisfeitos com os resultados apresentados até o momento.

A Walgreens não indicou se as lojas seriam as mesmas em todos os mercados, mas disse que estaria mais focada em farmácias e produtos de assistência médica sem receita. Até agora, 20 novas lojas estão em funcionamento e outras estão em construção.

“Estamos desenvolvendo esse formato”, disse Gourlay. “Portanto, ainda temos oportunidades para preencher algumas redes”.

Produtos de saúde adicionais vendidos sem receita são consistentes com as ofertas tradicionas das drogarias em geral. A CVS Health abrirá 1.500 lojas em formato “HealthHub” até o final de 2021. O Walmart segue a mesma tendência e está adicionando mais itens de saúde e bem-estar sem receita. Isso é resultado de estratégias mais desenvolvidas que foram além do estágio piloto e de teste.

Com mais de 9.200 farmácias americanas em todos os 50 estados dos EUA, Washington, DC, Porto Rico e Ilhas Virgens Americanas, a estratégia da Walgreens parece ser uma indicação de que as farmácias que operará no futuro não serão as mesmas nem terão o mesmos produtos e serviços. A contagem nacional de lojas de 9.277 locais no total em 31 de agosto não inclui os 200 locais nos EUA em que a Walgreens está em processo de fechamento, disse um porta-voz da empresa.

O CEO da Walgreens, Stefano Pessina, disse que não quer apenas uma “transformação física de nossas farmácias, oferecendo cada vez mais serviços aos nossos clientes, mas que queremos mudar o modelo”.

“Temos um relacionamento completamente diferente com nossos clientes e é isso que estamos fazendo, e você pode ver pequenas coisas aqui e ali que já são públicas e que podem lhe dar esse sentimento”, disse Pessina.

 

Com informações da Forbes
*Imagem reprodução

Fonte: Mercado&Consumo