TaQi abre 20 lojas em 2019 e pode expandir para Santa Catarina

Depois de dois anos sem grandes movimentos de expansão, a varejista gaúcha TaQi fecha o ano com cinco novas lojas e confirma a abertura de 20 filiais em 2019. As novas unidades ficam em Porto Alegre, São Leopoldo, Canoas e Teutônia – que abrem antes do Natal -, e Viamão. Com a safra recente, a rede chega a 90 pontos, 88 no Rio Grande do Sul e duas em Santa Catarina.

Sobre a expansão, o vice-presidente do grupo Herval, dono da bandeira, Germano Grings, diz que o foco é o mercado gaúcho, mas não descarta mais investidas fora. “A prioridade ainda é o Rio Grande do Sul, mas estamos atentos outros estados, principalmente Santa Catarina. Há um grande potencial de expansão nesse estado”, reforça Grings.

Com 1,8 mil funcionários, a varejista, que trabalha com ramos de serviços, móveis e eletrodomésticos e ferramentas e matérias de construção, vai implementar em todas as unidades, até o final do ano que vem, o atendimento mobile, em que vendedor atende o cliente com smartphone, dispensando a espera na fila do caixa.

De acordo com Grings, o conceito é inspirado nas lojas da Apple, nos Estados Unidos. “O vendedor faz tudo: atende o cliente, faz a venda, recebe o pagamento – contanto que seja no cartão de crédito ou de débito – e já entrega a mercadoria”, descreve o executivo, que também comanda a gestão da iPlace, revendedora da marca norte-americana no Brasil.

Com investimento aproximado de R$ 10 milhões em 2018, a TaQi pretende que essa conta seja “bem mais alta” no próximo ano. Projetando um crescimento 2% para a economia do País em 2019, Grings pondera que “não tem como ser um otimista cego”, mas projeta um aporte maior na segunda metade do ano. “Se os indicadores no primeiro semestre forem bons, o investimento no segundo semestre será bastante pesado”, assegura.

“Temos uma regra: gostamos de crescer dois dígitos, e o primeiro não pode ser um. Os dois dígitos já estamos crescendo, agora queremos atingir os 20% ou mais”, completa o executivo, sobre o desempenho esperado para 2019.

Imagem: Reprodução
Fonte: Jornal do Comércio