Rede de cafeterias Deltaexpresso quer conquistar o Sudeste

A perspectiva é fechar o ano com 20 novas lojas e com crescimento de 30% em relação a 2017

Após consolidar sua atuação no mercado pernambucano, a rede de cafeterias Deltaexpresso quer expandir as atividades no País, principalmente para o Sudeste. A perspectiva é fechar o ano com 20 novas lojas e com crescimento de 30% em relação a 2017. O sucesso da rede se baseia no modelo de franquias, setor que registrou alta de 8,4% de crescimento no País no segundo trimestre deste ano em relação ao mesmo período de 2017, segundo a Associação Brasileira de Franchising (ABF).

Em 2017, a Deltaexpresso registrou faturamento de R$ 57 milhões, crescimento de 65% em relação a 2016. A estimativa é que Pernambuco represente, em média, 24% do market share este ano (previsto em R$ 75 milhões). Hoje, há 25 lojas no Estado. Serão abertas mais três em 2018. “Queremos tornar a marca conhecida no País como é hoje no Recife. Já temos seis lojas em São Paulo e queremos abrir outras três até o fim do ano. No Rio, temos cinco estabelecimentos e vamos abrir outros quatro em 2018. São nestes dois Estados que queremos dar mais foco este ano e em 2019”, diz o CEO da Deltaexpresso, João Barbosa.

Além disso, o objetivo é conquistar outros mercados no Nordeste, como Ceará e Rio Grande do Norte. Na capital cearense, a rede possui duas lojas no Aeroporto de Fortaleza. Outra região visada é o Sul. Hoje, há seis lojas em Curitiba, no Paraná.
A Café Franchising, empresa de capital luso e brasileiro detentora da marca Deltaexpresso, é parceira no Brasil do Delta Cafés, que atua como fornecedora da rede. São importados blends de mais de 60 origens. Segundo Barbosa, ofertar grande variedade de cafés de todo o mundo é uma das estratégias para conquistar novas praças.

O CEO comemora a expansão da rede. A Deltaexpresso nasceu no Recife em 2004. Há três anos, a marca intensificou o processo de expansão com abertura de, em média, 20 lojas por ano. Para abrir uma franquia da Deltaexpresso, o investimento para uma loja padrão de 60 metros quadrados está na ordem de R$ 350 mil.

ECONOMIA
Para o futuro, a expectativa é de que o cenário econômico se recupere. “Queremos manter a média de crescimento de 30% dos últimos anos, mas depende do que vai acontecer no período pós-eleitoral. Só depois, poderemos ter uma previsibilidade mais adequada”, complementa Barbosa.

Imagem: Reprodução
Fonte: Jornal do Comércio