KFC da início a uma forte expansão no Brasil; meta é abrir 500 lojas em nove anos

Especializada em frango frito, a rede norte-americana KFC deu início a uma forte expansão no Brasil. O objetivo é abrir, em nove anos, 500 novas unidades. Atualmente são 50, delas, 14 próprias – distribuídas em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Bahia, Ceará e Pernambuco.

De acordo com o gerente-geral da KFC Brasil, Ildefonso de Castro Deus, Minas Gerais é um dos territórios mais importantes dentro do plano. Atualmente, são seis unidades em Belo Horizonte e região metropolitana. “No interior do Estado, começando por Uberlândia (Triângulo), Contagem (RMBH) e Juiz de Fora (Zona da Mata), planejamos chegar a 10 unidades nos próximos cinco anos”, explica Deus.

A expansão será feita, prioritariamente, através do modelo de franquias e tem foco inicial nos mercados de São Paulo capital, (região metropolitana e maiores cidades do interior), Rio de Janeiro, Minas Gerais, Pernambuco e Ceará. Na segunda fase serão as cidades acima de 250 mil habitantes. A meta da rede é buscar investidores com capacidade gerencial e financeira para implantar, pelo menos, cinco unidades no período de três anos. O investimento médio para a abertura de uma unidade é de R$ 2 milhões, fechando um total de R$ 10 milhões por candidato no período.

“Grande parte dos nossos investidores são franqueados que já contam com experiência de gestão em outros segmentos e que tem o capital necessário para a expansão na região desejada com a abertura de quatro ou cinco unidades. Mesmo com a atual conjuntura, temos fila de espera e, com a expertise do Grupo Sforza, que administra a rede no Brasil, o modelo de negócio é comprovado e altamente rentável. É importante que o candidato tenha experiência com gestão, além de estar apto a manter a qualidade e o padrão de uma marca mundialmente reconhecida. Por isso ele passa por um treinamento de 90 dias para que conheça todo o processo do negócio”, afirma o gerente-geral da KFC Brasil.

Além do tradicional modelo de loja para Shopping Center, a rede vai lançar um modelo de loja de rua que começará a ser aberta no ano que vem. Das 500 unidades prometidas até 2027, 100 devem ser no formato de rua com delivery e drive thru e mais 250 unidades de rua no modelo “in line” com delivery. O modelo piloto está sendo testado e a proposta é que esta unidade tenha uma média entre 150 m² e 280 m². O custo da unidade ainda está em avaliação.

Cada unidade tem capacidade para empregar entre 25 e 30 colaboradores diretos. Então a marca deve gerar 15 mil empregos nos próximos 10 anos. “O Brasil é visto hoje como foco da marca global devido ao tamanho da população economicamente ativa e ao comportamento do consumidor que aprecia o frango, além da oportunidade gigantesca de expansão a curto prazo, podendo alcançar o crescimento de 120% até dezembro de 2019”, completa.

Imagem: Reprodução
Fonte: Diário do Comércio