Porque o bom ponto comercial pode ser fundamental em momentos de crise

O momento é agora. Com as ofertas de pontos comerciais em ruas e nos shopping centers brasileiros, que tal rever as localizações atuais das suas lojas? Lembra-se daquele ponto comercial que você tanto queria instalar a sua loja, a sua escola, o seu restaurante? Na época não conseguiu locá-lo pois o valor do aluguel ou das luvas estavam altos demais e não fechavam a conta da operação. Ou também porque você demorou alguns dias a mais para a tomada de decisão e quando ligou para o corretor de imóveis, soube que a loja foi locada no dia anterior… eram outros momentos…

Bom, talvez este imóvel agora esteja vago.  E talvez numa condição mais favorável. Então, porque não repensar agora em mudar esta loja de lugar? Até porque na ocasião, a decisão teve de ser tomada considerando a 2ª ou a 3ª opção em termos de localização e aí, as vendas acabaram sendo abaixo do previsto, considerando o potencial de vendas daquela rua, bairro ou cidade.

Isto porque no comércio, a localização de uma loja pode ditar o resultado das vendas. Muitas vezes uma loja mal localizada demanda  um esforço adicional em marketing e divulgação, além de uma atenção diferenciada da direção da empresa. Ao contrário daquela que está no “burburinho” e que só dá alegrias. As vendas superaram mês a mês.

É fato que a vacância tem aumentado, agravada pela crise econômica, e muitos varejistas estão enfrentando sérios problemas financeiros. Segmentos inteiros têm sido afetados, como moda, eletroeletrônicos, automotivos, móveis e decoração, livrarias… já notaram a quantidade de agencias bancárias fechadas? Bom, na crise, é também o momento de racionalizar a quantidade de lojas. Faz sentido manter 2 lojas próximas uma da outra? Em outros momentos, talvez sim, mas com as vendas em baixa, não, sobretudo se os custos estiverem altos. É o momento de repensar as operações deficitárias.

Mas ao mesmo tempo, existem segmentos em franca expansão. Farmácias e drogarias, mercados de vizinhança, laboratórios clínicos, fast foods e óticas são alguns que estão crescendo e se beneficiando justamente por conta da crise. Sim, este também é o momento de ocupar novas áreas e crescer.  Se sua empresa tem caixa para expandir, as oportunidades e as condições negociais são favoráveis. Talvez seja o momento de crescer num momento que o seu maior concorrente se retrai e daí a oportunidade de conquistar mercados antes intransponíveis. Pode ser a hora de virar a mesa no mercado que você atua.

Portanto, se àquele imóvel que você tanto desejou agora está vago, vá atrás dele. Lembre-se que havendo um bom ponto comercial disponível, sempre haverá alguém de olho. Não deixe passa-lo pela segunda vez.

Marcos Hirai (marcos.hirai@gsbgh.com.br), sócio-diretor da  GS&BGH Retail Real Estate